Conheça os parceiros do projeto: KU Leuven

Sobre o Departamento de Ciências da Reabilitação na KU Leuven

Melhorar a qualidade de vida e o funcionamento cotidiano constituem objetivos fundamentais no tratamento multidisciplinar das pessoas com demência. Para atingir este objetivo, um dos componentes essenciais é manter-se fisicamente ativo. O grupo de investigação de Atividade Física Adaptada e Reabilitação Psicomotora e o Centro Psiquiátrico da Universidade KU Leuven, na Bélgica, criaram um centro de excelência para explorar formas de motivar as pessoas com doenças mentais para se tornarem fisicamente mais ativas.

O programa de investigação do VITAAL da Dra. Nathalie Swinnen (grupo de investigação em Atividade Física Adaptada e Reabilitação Psicomotora e Centro Psiquiátrico da Universidade KU Leuven), Prof. Dr. Davy Vancampfort (grupo de investigação em Atividade Física Adaptada e Reabilitação Psicomotora) e Prof. Dr. Mathieu Vandenbulcke (Centro de Psiquiátrico da Universidade KU Leuven) focar-se-á em:

  • Participação e adesão da pessoas com demência ao novo exergame desenvolvido (nível de utilização da tecnologia).
  • Usabilidade e capacidade de resposta do sistema.
  • Utilidade percebida, satisfação e aceitação da tecnologia por pessoas com demência.
  • Eficácia terapêutica das intervenções, através da comparação de parâmetros no início e no fim: qualidade de vida, desempenho físico (velocidade da marcha e variabilidade da marcha), risco de queda, capacidade cognitiva, independência, autoconfiança – em pessoas com demência.
  • Carga da configuração e instalação do sistema.

Papel no projeto

Para acomodar as expectativas e necessidades dos utilizadores, serão envolvidos durante todo o processo de desenvolvimento utilizadores primários (pessoas com demência) e secundários (fisioterapeutas). A KU Leuven irá colaborar na formulação do desenho centrado nos utilizadores e no desenvolvimento do sistema em contexto de cuidados de saúde em pessoas com demência. Será aplicado um processo de desenho iterativo, centrado no utilizador, para definir e validar a interface do jogo e garantir que todos os aspetos do jogo são facilmente compreendidos pelas pessoas com demência. As pessoas com demência terão também uma participação ativa na construção de uma base de dados de movimentos, que será utilizada no desenvolvimento de algoritmos para análise de movimento. Iremos testar e avaliar o protótipo desenvolvido em De Wingerd (Leuven, Bélgica).