Última atualização: O primeiro protótipo está pronto: Contate-nos para uma demonstração através do e-mail hello@vitaal.fit ou diretamente pelo telefone: +41 44 586 88 34

Publicação: Orientation-Invariant Spatio-Temporal Gait Analysis Using Foot-Worn Inertial Sensors

Publicação em papel do nosso parceiro Fraunhofer AICOS

Vânia Guimarães e a sua equipa na Fraunhofer AICOS publicaram com sucesso um artigo na revista Sensors: Sensors é a principal revista internacional, revisada por pares, de acesso aberto sobre a ciência e tecnologia dos sensores.

Orientation-Invariant Spatio-Temporal Gait Analysis Using Foot-Worn Inertial Sensors" foi publicada em Sensors

Os sensores de inércia podem potencialmente ajudar na tomada de decisões clínicas em distúrbios relacionados com a marcha. Os métodos de análise objectiva da marcha espaço-temporal assumem geralmente o cuidado alinhamento dos sensores no corpo, para que os dados dos sensores possam ser avaliados utilizando o sistema de coordenadas do corpo. Alguns estudos inferem a orientação dos sensores através da exploração das características cíclicas do andar. Além de ser irrealista assumir que o sensor pode ser perfeitamente alinhado com o corpo, a robustez da análise da marcha no que diz respeito a as diferenças na orientação dos sensores ainda não foram investigadas - dificultando potencialmente a utilização em ambientes clínicos. Para colmatar esta lacuna na literatura, introduzimos uma abordagem de análise da marcha com orientação -variante e propomos um método para avaliar quantitativamente a robustez a alterações na orientação dos sensores. Validamos os nossos resultados num grupo de jovens adultos, utilizando como referência um sistema de captura óptica de movimento. Globalmente, consegue-se um bom acordo entre sistemas, considerando um extenso conjunto de métricas de marcha. A velocidade da marcha é avaliada com um erro relativo de -3,1 9,2 cm/s, mas a precisão melhora quando os passos de viragem são excluídos da análise, resultando num erro relativo de -3,4 6,9 cm/s. Demonstramos a invariância da nossa abordagem através da simulação das rotações do sensor no pé.

Link para o jornal: https://doi.org/10.3390/s21113940.